Gestão de resíduos sólidos em São Paulo com compostagem doméstica

Lançado em São Paulo no dia 16 de junho, o Projeto Composta São Paulo vai selecionar 2 mil domicílios de diversos perfis para receber uma composteira doméstica e participar de oficinas de compostagem e plantio. Além de fazer parte de uma comunidade online de troca de conhecimento e experiências, os participantes irão ajudar a gerar informações e aprendizados para impulsionar e fomentar a elaboração de uma política pública que estimule a prática da compostagem doméstica na cidade de São Paulo.

Serão convidadas cerca de 10.000 famílias para participar voluntariamente do Projeto a partir, principalmente de condomínios, escolas e comunidades. Outras famílias interessadas poderão se inscrever por meio de um questionário online disponível no site www.compostasaopaulo.eco.br.

Trata-se de uma iniciativa da Secretaria de Serviços da Prefeitura de São Paulo, por meio da AMLURB, realizado pelas concessionárias de limpeza urbana Loga e Ecourbis. A idealização e execução é da Morada da Floresta. O projeto é uma das ações do programa municipal SP Recicla.

Um dos objetivos centrais do projeto é gerar dados que serão utilizados para impulsionar e fomentar a construção de uma política pública que estimule a prática da compostagem doméstica na cidade de São Paulo. Para isso, serão realizadas 3 pesquisas ao longo do projeto: a primeira, sobre os hábitos domiciliares, a segunda sobre o uso da composteira e, ao final, uma terceira para verificar e consolidar as mudanças de hábitos e as soluções encontradas em cada domicílio.

Mais do que um projeto, o COMPOSTA SÃO PAULO quer ser um grande movimento. Para isso, será lançada também a Comunidade Composta São Paulo no Facebook para a troca de conhecimento e práticas sobre compostagem. A idéia é criar um canal de conhecimento horizontal e coletivo referência em compostagem.

Anúncios