Horta em lote vago no Aglomerado da Serra

A iniciativa de alguns moradores do Aglomerado da Serra, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, está mudando a paisagem do morro e garantindo comida na mesa da comunidade. Lotes vagos que antes eram depósitos de lixo e entulho viraram hortas onde verduras e legumes fresquinhos são produzidos. A dupla Pablo e Talita mostra, nesta quinta-feira (19), um pouco mais desta história.

O lugar parece uma pequena roça no meio do aglomerado. Para sustentar o barranco onde as frutas e verduras são plantadas, pneus e garrafas de plástico seguram a terra. Ali, são plantados alface, couve, almeirão, salsinha, coentro, babosa, entre outros alimentos. Os produtos são vendidos para os moradores da comunidade. “ Quem não tiver dinheiro, a gente arranja do mesmo jeito. Sem comer ninguém fica”, diz Durvalino Quaresma, responsável pelas plantações.
Antes de cuidar da horta, Durvalino conta que convivia com diversos problemas de saúde. “Ficar fazendo este trabalho é a mesma coisa que ficar fazendo uma ginástica”, diz.

A horta foi criada depois de o dono do terreno se mudar do local e pedir para Seu Raimundo cuidar do lote, localizado nos fundos da casa dele. “Eu via que estava crescendo um mato muito alto, dando rato, dando muito inseto e bichos, ai eu resolvi limpar e cercar”, diz. Assim, as primeiras mudas começaram a ser plantadas para aproveitar a terra fértil.

A mulher de Seu Raimundo, Dona Marlene, sonhava com a possibilidade de comer uma verdura fresquinha diariamente. “ Se a gente compra no sacolão só dura dois dias”, diz. Segundo ela, as cascas e as folhas secas caídas na terra são aproveitadas para o adubo usado no plantio.

A Companhia Urbanizadora de Belo Horizonte (Urbel) considera positiva a iniciativa dos moradores, mas orienta as pessoas interessadas em realizar algo parecido a procurar informações sobre o local do plantio. Se for uma área de risco de deslizamento, por exemplo, o uso constante de água pode contribuir com a desestabilização do terreno. Além disso, a Urbel pede que os moradores oficializem a utilização do terreno por meio de um termo de guarda de área. No caso do Aglomerado da Serra, o termo pode ser solicitado no Centro de Referência de Área de Risco, localizada na Rua Nossa Senhora de Fátima, nº 2325.

Anúncios