Fazendas urbanas surgem em meio aos arranha-céus de Nova York

No meio dos arranha-céus de Nova York surgem tomates, galinhas, cabras e até peixes. São as fazendas urbanas.
Ray tira do pé o tomate-cereja cultivado sem produtos químicos e garante que o sabor é dos melhores dos Estados Unidos. Ele não exagera. Mas a maior surpresa está no local de cultivo: o tomate é um autêntico produto da selva de pedra de Nova York, áreas que sobreviveram aos arranha-céus e, embora de tamanho mínimo, ficaram conhecidas como fazendas urbanas.
Uma delas fica em um prédio público no Bronx. A prefeitura de Nova York cedeu um terreno para a comunidade desenvolver o projeto das fazendas urbanas. No local, adolescentes e adultos aprendem como cultivar a própria comida em pequenos espaços.
Além da horta, voluntários dedicam semanalmente horas de trabalho para criar galinhas.
“Isso não é apenas para nós. O que a gente cultiva aqui vai para a igreja, que depois distribui para quem precisa mais”, diz Junior Leive.
Christopher abandonou o mercado financeiro em busca de uma vida menos estressante. Agora ensina de graça, no Brooklin, a criar peixes e cabras em casa.
Andrew cultiva sete colmeias desde abril. São meio milhão de abelhas. Ele produz 840 quilos por ano. Um faturamento anual superior a R$ 150 mil. E vida de fazendeiro no meio da selva urbana.

Anúncios